4.22.2010

Entrevista com Vitor Cafaggi

Às vezes eu sou meio chato e importuno as pessoas, fazendo-as pagar micos ou outras coisas só pra divulgarem seus trabalhos ou para se tornarem amigos, contatos, colegas, parceiros ou/e, principalmente, ídolos.

Coisa vai, coisa vem, me deparei certo dia com Vitor Cafaggi e seu Puny Parker. Logo entrei em contato com o cara, escrevi um post sobre seu trabalho e pedi para ele dar uma entrevista. Como Vitor é um cara muito bacana - sério, gente, ele é um dos fãs do Aranha mais legais que eu conheço - , ele me concedeu a entrevista que vocês podem conferir abaixo!

1. O mundo do Pequeno Peter é uma mistura bem ajustada dos vários universos criados para o herói (cinema, linha normal, linha Ultimate, linha 2099), por sinal, você mostra um profundo conhecimento sobre cada um (inclusive citando Sally na tira 18, uma referência a Amazing Fantasy #15). Como você administra isso (quando colocar essa e não aquela versão)? Há uma linha de raciocínio para montar esse mundo ou você só coloca o que acha legal e pronto? E, de fã para fã, como foi seu primeiro contato com o Aranha?

A linha normal de quadrinhos é meu ponto de referência principal. Sempre procuro colocar referências a filmes, desenhos e à linha Ultimate que não entrem em conflito com a linha regular e tento juntar tudo de modo que fique coeso.

Por uma incrível coincidência, quando eu era muito pequeno, minha mãe sempre me deu pequenos presentes do Aranha, eu tive a fantasia, tive uma caneta, algumas revistas da RGE. Quase sempre que eu ganhava alguma coisa de super-herói era do Aranha. Acho que esse foi meu primeiro contato. Mas a revista que me marcou mesmo foi a Homem-Aranha nº 37 da Editora Abril, a história dele contra o Fanático. A partir dela eu comecei a colecionar o Aranha e nunca mais parei.

2. A aparição de MJ e a própria interação dela com o pequeno Peter é diferente de qualquer universo criado para o personagem, exceto o Ultimate, você tomou essa decisão pela repercussão dela em mídias como filmes e a linha de HQs citada? Por que não usar Gwen Stacy desde o início?

Se você reparar bem, eles não tem uma interação. O Peter não sabe o nome da MJ, nem onde ela mora, nem onde ela estuda e nunca trocou sequer uma palavra com ela. Resumindo, ela é só uma garotinha que ele vê na rua. Nas próximas tirinhas vai ficar claro que a MJ não mora com a Tia Anna. Só a visita de vez em quando. Não vou falar muito sobre isso pra não estragar surpresas do final da 2ª temporada e da 3ª. Quando comecei a desenhar Puny Parker, a Gwen era minha namorada favorita dele. Mesmo assim, achei que faria mais sentido que a MJ fosse a "garota da casa ao lado" até pra fazer uma brincadeira com a garotinha ruiva do Charlie Brown. Os únicos personagens que o Peter conhece bem, interage, sabe seus nomes e tudo, são a Liz e o Flash, que eram seus colegas desde o tempo de escola.

3. A história do Pequeno Peter acontece durante a década de 1980, época em que, nos quadrinhos da linha normal, Peter já estava grande (e combatendo bandidos) e na linha Ultimate e filmes ele talvez nem tivesse essa idade. Por que essa década?

O raciocínio foi o seguinte. Peter Parker tem hoje nos quadrinhos aproximadamente 27 anos. É meio que unânime entre os fãs do Aranha que ele tem entre 26 e 29 anos, não é muito menos, nem muito mais do que isso. Pra fazer Puny Parker, eu considerei que, se ele tem de 27 anos hoje, ele passou sua infância na década de 80, certo? Ele começou as tirinhas com seis e atualmente está com sete anos, o que quer dizer que Puny Parker se passa a vinte anos atrás. Até onde eu sei, existem dois erros de continuidade nas tiras. Um é quando em 88 ele canta Candy do Iggy Pop (música lançada em 90) e outro quando a Gwen fala que está vestida de Princesa Peach do Mario, sendo que em 89, a personagem do jogo ainda não era chamada assim.

4. Você coloca várias versões em quadrinhos do Aranha nas tiras, mas vejo poucas alusões aos desenhos que passavam na TV e ao live action (mesmo que este tenha passado durante os anos 1980 no Brasil), você não gostava desses desenhos ou simplesmente não viu oportunidade para citá-los?

Já fiz uma menção ou outra ao desenho Spectacular Spider-Man. E, na terceira temporada, o Homem de Gelo e a Flama vão aparecer. Da série mesmo do Aranha eu lembro muito pouco.. mas, não descarto referências a ela.

5. Suas tiras são muito ricas de referências que, quem não conhece o universo do escalador de paredes, pode se sentir meio deslocado (mesmo com seus comentários em cada post), de qualquer forma, ela é admirada por ambos os públicos. Como você recebe esse retorno, acha legal ou às vezes lê um comentário e pensa "você não deveria estar aqui"?

Acho muito legal isso. Sempre tento escrever as curiosidades de modo que elas não "expliquem a piada" e sirvam mesmo pra trazer informações pra quem não conhece muito sobre o Aranha. Ou, mesmo pra quem já conhece relembrar. Puny Parker é feito pros fãs do Aranha, eles são o público-alvo. Mas fico muito feliz em ver que quem não conhece tanto sobre o personagem gosta também. Por isso tento sempre variar as tiras, fazendo algumas com muitas referências para os fãs e outras sem nenhuma, praqueles que gostam de ver a relação dele com os os tios, os colegas de escola e com a pequena MJ.

6. Por que traduzir como "Incríveis Aventuras" e não "Espetaculares Aventuras" que é como a maioria dos fãs conhecem?

Se fosse hoje eu teria colocado 'Espetaculares' mesmo. Mas na época, coloquei incríveis pra ficar mais próximo de Amazing. Amazing Spider-Man é o principal título do Aranha lá fora. Espetacular é como ele é conhecido no Brasil mas Spectacular nunca teve tanto crédito lá fora.

7. Na tira 14, tio Ben fala no soro do super-soldado, como ele sabia tanto? Pensei que fosse um segredo militar!

Na realidade de Puny Parker, o Capitão foi um grande herói de guerra. Peter conhece tanto sobre ele pelas histórias que o Tio Ben conta e pelo que leu nos quadrinhos. E nos quadrinhos foi revelada a identidade do Capitão, sua origem etc.

8. Como a Liz sabia que Peter era o Ben Reilly? Não há nenhuma referência a isso nas tiras.

Ela não sabia. Ela só queria encontrar um par que irritasse muito o Flash. Se não dava pra ser o tal Ben Reilly, sua segunda opção era o Peter.

9. Adoro a fonte que você usa nos quadrinhos. Qual o nome dela?

Ela chama Creative Block. Gosto muito dela também. O único problema é que ela não tem acentos... eles tem que ser feitos à mão depois.

10. Como você colore as tiras? Usa Photoshop e tablet ou faz à mão e depois dá retoques no Photo?

Elas são coloridas com lápis de cor logo depois que eu termino a arte-final. Depois, no Photoshop eu termino de colorir com o mouse mesmo.

11. Ok, foi em julho do ano passado, mas eu queria abrir um comentário sobre seu post "Off", meio "500 dias com ela". Bem, há um Puny Parker em todos nós, mas não nos damos tão bem com garotas como ele... (ok, eu me dei bem, mas demorou um pouco...)

Com certeza! Nem todo mundo se casa com super modelos.. Eu adoro esse filme!

12. Ainda dá tempo de fazer o bonequinho e mandar?

Claro! em junho entram novas fotos dos cubeecrafts do Puny por aí.

13. Ainda não entendi bem o que você faz fora do Puny Parker. É professor de desenho ou de inglês? hahahahahaha... brincadeira, só fiquei impressionado com a qualidade de seu inglês. Eu fui professor de línguas e achei legal você colocar as tirinhas bilíngues, alcança um público maior e dá mais chances pro pessoal procurar os quadrinhos originais, bem como ajuda no aprendizado para aqueles que estejam em cursos de inglês ou na escola.

Eu sou professor de desenho. Nunca fiz nem curso de inglês, não daria certo como professor disso. haha

Aprendi a língua vendo filmes, ouvindo música, lendo revista. Tem um amigo meu americano, o Steve, que sempre lê minhas tirinhas em inglês antes que eu publique. A maioria das vezes, ele acha um erro ou dois nelas.

14. Devo confessar que seu post de setembro de 2009 sobre MSP 50 me deixou emocionado. Assim como você sempre gostei e quis trabalhar com quadrinhos e por causa disso eu sou escritor. Por muito tempo tenho tentado reduzir minha carga horária de trabalho para produzir histórias, mas por conta de uma coisa ou outra que invade nossas vidas não pude, então escrevo com o horário que eu tenho, muitas vezes acordando mais cedo, dormindo mais tarde ou mesmo sacrificando uma hora do final de semana com minha namorada para escrever, sentar com desenhistas e propor uma ideia e desenvolver algum projeto, sempre a passos lentos e muitas vezes impensáveis, mas nunca abandonando o sonho. Se você se vê como Puny Parker, eu me vi como você após este post. Se eu já era seu fã, agora sou bem mais.

Legal saber disso, cara. Realmente, não é fácil conseguir tempo pra se dedicar a isso. Mas, se a gente não conseguir esse tempo pra correr atrás dos nossos sonhos, só vamos poder ficar lamentando disso depois. O negócio é se organizar de algum jeito pra poder tomar essa atitude de uma forma mais segura. No meu caso, quando eu decidi largar meu principal emprego, eu trabalhei por um ano e meio, todos os dias de oito da manhã até as dez da noite. Sendo que de sete às dez eu trabalhava em outra cidade. Domingos eu fazia freelancers de ilustração. Com essa ralação toda consegui fazer uma poupança que me deixou mais seguro pra correr atrás de desenhar quadrinhos.

15. Você não acha Miguel O'Hara o nome mais legal já criado num quadrinho?

hahaha. Nunca parei pra pensar nisso..

16. Li sua entrevista para o Almanaque 02. Poxa, pensei que só eu tinha ido ver HA seis vezes no cinema!

Seis vezes o primeiro, três o segundo (que é o meu favorito) e três o terceiro.

17. Você tá lendo o Aranha ultimamente? O que tem achado dele?

Eu tô adorando a fase atual do Aranha! A melhor em muitos anos. Nem todas as histórias são ótimas, claro. Mas, no geral, tá com aquela cara que as revistas do Aranha tinham na época do Roger Stern e John Romita Jr, minha fase favorita do Aranha.

18. Partindo para um papo mais fã, até agora a Marvel não te chamou para escrever para eles, mas se eles convidassem para assumir o personagem, o que você gostaria de escrever sobre ele? Continuaria com o Puny ou entraria com tudo na versão adulta?

As duas coisas! Se me chamassem pra escrever ou desenhar a revista do Aranha ia ser o sonho da minha vida realizado. Se quisessem publicar as tirinhas do Puny, ia ser o outro sonho da minha vida realizado.

19. Pra fechar, o que você tem feito ultimamente além do Pequeno Peter e quais são seus outros planos? (Cara, manda uma mensagem pra seus leitores cearenses também. A galera aqui te adora).

Tenho vários projetos engatilhados pra esse ano. Pequenos Heróis, uma homenagem aos heróis da DC, do escritor Estevão Ribeiro, deve sair esse ano. Ao mesmo tempo, já começo a trabalhar em Pequenos Heróis 2, dessa vez com os heróis da Marvel. Tenho uma revista com personagens meus que está sendo produzida desde o ano passado pra ser publicada esse ano. Seja por uma editora ou de forma independente. E tenho alguns outros projetos que eu não posso comentar muito ainda por estarem bem no começo. Mas, uma coisa é certa, esse ano eu tô trabalhando muito! Não posso reclamar.

E aos leitores cearenses do Puny Parker, aquele abraço e meu muito obrigado!

Vitor Cafaggi é mineiro e desde 2008 publica a tirinha "As Incríveis Aventuras do Pequeno Parker" em seu blog (link em nossa aba de links). Foi convidado pela Maurício de Sousa Produções como um dos desenhistas a escreverem suas versões da Turminha (ele escolheu o Chico Bento e é sua HQ que encerra a revista) no MSP 50. É um cara simpático e hiper bacana, além de (obviamente) ser um grande fã do Aranha, que teve a bondade e honra de abrir nossa sessão de entrevistas!

Valeu, Vitor e esperam por mais galera!

2 comentários:

  1. Muito legal
    Quero ser ele quando eu crescer.

    ResponderExcluir
  2. É mesmo, cara. O Vitor é bem legal. E, K, vc já é grande!

    ResponderExcluir