11.18.2011

FIQ 2011 - REVIEWS E OUTROS DETALHES

Para quem esteve preso em uma redoma capsular em algum lugar de Plutão ou simplesmente não dá a mínima para coisas como quadrinhos e eventos ligados ao gênero, de 9 a 13 desse mês aconteceu a 7º Feira Internacional de Quadrinhos, o FIQ! O Fórum de Quadrinhos do Ceará, na forma deste que vos escreve e outros amigos e colegas, marcou presença lá. As novidades e comentários sobre tudo o que vimos e vivemos vocês poderão ler no blog do FQCE.

Como já é de costume, muitos quadrinhos que estavam por lá foram adquiridos pelo editor/redator deste blog. Assim, decidi abrir uma sessão especial que sairá aqui todas as semanas onde faço reviews de tudo que comprei por lá. A ordem é aleatória: conforme eu vou lendo eu vou postando. E para a estreia nada mais que especial do que a obra de artista que já esteve por aqui: Valente Para Sempre de Vitor Cafaggi.

Em 2010, Vitor Cafaggi foi convidado pelo jornal O Globo a ter um espaço no periódico com uma tira própria. O autor apresentou então Valente, as desventuras de um cachorro e sua paixão por uma gatinha em sua rotina de idas a aulas e amigos. Assim, o autor juntou em uma copilação especial as 70 primeiras tiras publicadas no jornal e lançou no FIQ em um livro especial com capa bacana e papel de primeira 
(e lombada quadrada) para os fãs que não tiveram a chance de acompanhar as tiras pel'O Globo.


Logo de cara percebemos que Cafaggi é um quadrinista mais que competente. Muito mesmo. Ele sabe se utilizar da linguagem dos quadrinhos de maneira clara e objetiva - desde a escolha da colocação do texto até a adaptação e caminhar dos balões pelos quadros, além de um timing emocionantemente perfeito -, encontrando saídas simples e básicas que ajudam a sua narrativa e dão ao seu trabalho um ar de obra acabada, redonda, completa. Tudo isso logicamente em desenhos lindos, inquestionavelmente lindos. Um dos melhores exemplos da união ideal de texto e imagem que formam a arte sequencial. Como tirista ele deixa a ousadia de lado e apresenta um quadrinho tecnicamente linear, sem ser piegas ou datado. Suas influências são tão óbvias que o fato de ele as dizer é meio irrelevante (a quem ainda não sabe: Watterson e Schulz). O melhor é que ele as utiliza como real prova de "aprendizagem", não como "cópia".

No entanto, técnica sem conteúdo é um poema parnasiano e Valente Para Sempre está longe de ser um mero "jarro vazio". Pelo contrário. A tira é riquíssima e verdadeira, real prova do que há de melhor na vanguarda dos quadrinhos hoje em dia. Cafaggi acerta por fazer uma HQ para todas as idades, abordando o tema da paixão e do "procurar pela pessoa" de forma tão sincera e leve que é quase impossível não se identificar com as histórias do cãozinho do título. Afinal, essa é a palavra de ordem de toda a HQ: sinceridade. Os sentimentos que conduzem as narrativas curtas - algo que vai se aprimorando a cada página - da coletânea são tão verdadeiros que não cabem mentiras nas sarjetas e tudo é abordado com a linguagem de uma criança e a nostalgia de um adulto. Seu desenho é um condutor ideal desses sentimentos, das emoções em cada levantar de orelhas de Valente ou não balançar do rabo. Impossível não se emocionar em alguns momentos somente pelas imagens (vejam as páginas 60 e 78, se você não se sentir movido por aquilo...). Essa sinceridade é tão patente que Valente é simpático e íntimo como seu melhor amigo e confidente e suas histórias são tão agradáveis quanto reuniões das pessoas que você mais gosta numa tarde bonita. 
Características que vêm muito bem expressas desde a inspirada introdução feita por Bu Cafaggi, personagem e irmã de Vitor/Valente, até a interpretação do personagem por outros artistas nas páginas finais.

Não há exageros em dizer que foi o melhor trabalho em tiras editado no Brasil desde o fim de Calvin e Haroldo, personagens que, por sinal, acompanhavam o mesmo jornal que hoje lança a tira do cãozinho. Melhor sucessor impossível. Desconfio que Bill Watterson ficaria orgulhoso.


Aos que não tiveram a chance de adquirir a coletânea (bem como a revista DUO.TONE do mesmo autor) no FIQ 2011, acessem: punyparker.blogspot.com e descubram como pedir a suas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário